Blog

29 jan

Como serão as casas no futuro?

by Babi Stainsack

Pesquisa realizada com mais de 500 arquitetos norte-americanos revela que construções deverão usar materiais não prejudiciais para saúde, como a madeira.

O Instituto Americano de Arquitetos realizou recentemente uma pesquisa sobre as tendências de design para casa com um grupo de mais de 500 arquitetos. O objetivo era saber deles quais serão as principais mudanças nos projetos das casas na próxima década. http://mmma.org.uk/2015/01/@mmma_  

Ao invés de apontar ideias futuristas, como as empregadas domésticas robôs do desenho Jetsons ou correias transportadoras, as respostas apontaram que a indústria terá que lidar com mudanças globais demográficas e de meio ambiente de longo prazo.

go Eles incluíram que a tendência é focar na utilização de materiais que não são prejudiciais à saúde e que utilizem recursos que tragam qualidade de vida aos idosos.

Kermit Baker, economista-chefe do Instituto Americano de Arquitetos, disse que as mudanças nos projetos para casas serão impulsionadas pelo fato de que muitas jovens famílias que haviam adiado a compra da casa própria estão finalmente pensando em adquirir uma. Essa nova geração de compradores traz um conjunto diferente de gostos do que aqueles que compraram uma casa há 10 anos durante o boom imobiliário anterior nos Estados Unidos.

“Há 15 ou 20 anos atrás o mercado imobiliário era normal em todos os sentidos da palavra. Agora, temos uma nova geração inteira de pessoas querendo comprar casas”, disse Baker. “Eu acho que os construtores estão descobrindo que eles não podem simplesmente tirar o pó dos modelos antigos e devem começar a diversificar novamente”.

http://alashri.com/the-do-s-and-don-ts-of-pro-essay-writing/feed/ Pesquisas recentes indicam que os jovens não estão necessariamente interessados em novidades caras. Com os preços para compra e para aluguel subindo, muitos já estão economizando para não ter que buscar dinheiro extra. Em alguns casos, as tendências do futuro podem parecer como uma volta ao passado, com o aumento do uso de materiais naturais e utilizando menos materiais sintéticos.

 

construções do futuro

Nanterre Arboretum – Edifício às margens do rio Sena dará vida a uma antiga região industrial.

Na pesquisa, as cinco tendências identificadas foram:

  1. Projetos resistentes a desastres

Com um clima mais extremo provocado pelo aquecimento global, arquitetos acreditam que projetos com características para proteger as casas das inundações, incêndios e danos provocados pelo vento vão se tornar mais comuns, mesmo em áreas não costeiras. Como medidas de proteção eles citam construir casas alguns metros mais altas do chão, salas seguras ou de geração de energia de reserva.

  1. Materiais de construção “saudáveis”

Seguindo o movimento em direção aos produtos orgânicos, os proprietários de casas estão cada vez mais conscientes que materiais de construção podem fazer mal à saúde, de acordo com o Instituto Americano de Arquitetos. Os profissionais destacaram que as pessoas estão se afastando de materiais com tintas, que emitem vapores químicos, e estão procurando utilizar materiais naturais, como madeira e tijolo.

  1. Automação de casas inteligentes 

De acordo com os arquitetos, a escolha por automação de casas inteligentes vai aumentar ainda mais. A proposta é ser capaz de controlar a temperatura, a segurança e a iluminação a partir de um smartphone. Algumas pesquisas mostram que os jovens não estão especialmente interessados em tais dispositivos e classificaram que manter os custos baixos é a prioridade.

  1. Projetos que pensem no envelhecimento da população

Projetos que permitam que as pessoas continuem vivendo por muito tempo em suas casas vão se tornar mais populares com o envelhecimento da população. Corredores mais largos, janelas mais baixas e bangalôs são algumas ideias.

  1. Projetos de eficiência energética

Casas que utilizem menos eletricidade e água têm se tornado mais populares nos últimos anos e os arquitetos esperam que isso continue, mas ainda não está claro se os benefícios superam os custos. Suter, um arquiteto de Conccecticut, disse que ele encoraja seus clientes a não pensarem simplesmente nos custos da eficiência energética, mas sim nos benefícios que não são palpáveis, como um fogão à lenha, por exemplo, que pode ser usado em caso de falta de energia.

 

 

Esse post é uma contribuição do Portal Madeira & Construção exclusivamente para Mel e Limonada.

Matéria original: Blog do The Wall Street Journal, por Laura Kusisto.

“A ciência vem dizendo que Mel e Limão têm poder de cura, nós acreditamos que a sua casa também!”

Mel e Limonada | Design de Ambientes com Amor

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mel e Limonada

Entre em Contato

41 99275-9898

melelimonada

Curitiba / PR

digaoi@melelimonada.com.br